Curso 2010

Objetivo: formar e qualificar defensores do direito à educação de qualidade, fortalecendo sua capacidade de atuação junto a comunidades, escolas, movimentos e organizações na identificação de ameaças e violações a direitos, na análise das questões à luz dos princípios e normas educacionais e na utilização estratégica dos mecanismos de proteção dos direitos humanos.

Conteúdo: Serão discutidos os aspectos políticos, sociais e jurídicos relacionados aos direitos humanos, especificamente aos direitos econômicos, sociais e culturais; chegando-se à reflexão, aprofundamento e prática a respeito do direito à educação, bem com sua efetivação e exigibilidade através da utilização estratégica dos mecanismos jurídicos de proteção.

Local: Os nove encontros do curso serão realizados aos sábados, das 9h30 às 16h30, na sede da Ação Educativa (Rua General Jardim, 660. Santa Cecília. São Paulo), entre março e julho.

Método: O curso está dividido em quatro módulos, distribuídos em dez tópicos temáticos e datas. Os encontros serão divididos em duas partes: pela manhã, conferências abertas com especialistas convidados e, à tarde, oficinas de aprofundamento, com ênfase às possibilidades de intervenção prática e de articulação dos participantes.

Carga-horária: 80 horas-aulas
Divididas em 60 horas de atividades presenciais
e 20 horas de atividades de preparação

Frequência mínima: 75%

Público: O curso é aberto e gratuito e podem se inscrever educadores, trabalhadores da educação, estudantes, lideranças populares, jornalistas e militantes de movimentos sociais e de organizações não-governamentais.

Veja abaixo a lista dos participantes e suas áreas de atuação:

Alessandro Rodrigues Melo, São Paulo, coordenador do departamento jurídico do Instituto Paulo Freire.

Alveci Oliveira Deorato Santos, São Paulo – SP,   educadora infantil. Promotora Legal Popular e coordenadora nacional do Movimento de Favela e Moradia.

Amanda Vieira da Rocha de Aragão, São Paulo, comunicadora do programa de educação do Instituto Votorantim.

Américo Monteiro Sampaio, São Paulo – SP, estudante de serviço social, educador social, atuando na Plataforma dos Centros Urbanos.

Ana Crisitna Zuccaro Wajsman, São Jose dos Campos, auditora da Receita Federal do Brasil. Atua há sete anos, com a disseminação e implementação da educação fiscal para cidadania junto a municípios e entidades.

André Takahashi, São Paulo, gestor de projetos de Bairro Escola na Associação Cidade Escola Aprendiz.

Andréia dos Santos Viana, São Paulo, assistente social, movimento social Uneafro e delegada da Conferência Municipal e Estadual de Educação – CONAE.

Carmem Fatima Jesus Araujo Lisboa, São Paulo, educadora MOVA (Movimento de Educação de Jovens e Adultos)  e Associação Cantareira.

Catiusca Borges da Silva, Itapevi – SP, educadora – graduada em letras. Atua como agente de desenvolvimento local e é educadora  voluntária de pessoas com dificuldades de leitura e escrita.

Celina Mendes do Prado, São Paulo, educadora – graduada em letras, gestora social e coordenadora de projetos sociais em ONG.

Cintia de Jesus Santos, São Paulo, trabalha na Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Claudia Henriquez Frazão, São Paulo, educadora, coordenadora pelo CIEDS da Plataforma dos Centros Urbanos.

Cláudio Borges da Silva, Campinas, professor da rede pública municipal e militante em defesa da EJA.

Daniela Honorato Costa de Souza, Taboão da Serra, estudante de pedagogia e educadora social do Projovem.

Daniele Próspero, São Paulo, jornalista, especialista em jornalismo social e em educação comunitária. Atua na consultoria ‘Olhar Cidadão’

Danielle de Oliveira Bargas, Santo André,  estudante de pedagogia e arte educadora. Atua no Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente – CEDECA Sapopemba.

David Naoki Kawai, São Paulo, educador do SESCOOP/SP. Atuou no CASVI – Centro de Apoio e Solidariedade a Vida, com enfoque na sexualidade.

Denis Faria da Rocha, São Paulo, estudante de filosofia e direito. Militante na ABEF (Associação Brasileira de Estudantes de Filosofia) e do MAB (Movimento dos Atingidos por Barragens).

Elaine Cristina Sales de Oliveira, São Paulo, conselheira tutelar. Atua na Comissão da Educação dos Conselhos Tutelares de São Paulo.

Elania Lima, São Paulo, educadora social e arte educadora. Atua no Centro de Defesa dos Direitos  da Criança e do Adolescente – CEDECA Interlagos.

Elda Deorato Santos, São Paulo – SP, educadora social. Foi monitora no projeto formação cidadã para jovens.

Eliane de Oliveira Neves, São Paulo, estudante de geografia e militante social.

Elizabete  Souza  Campos, São Paulo, Estudante e voluntária na associação Monte Azul. Pretende atuar como conselheira tutelar.

Érica Cristina Ferreira, Taboão da Serra, educadora social. Atua com educação popular no MSU – Movimento dos Sem Universidade. É educadora no museo afro-brasil.

Ewerson Alessandro de Souza, São Paulo, professor da rede estadual de ensino conselheiro regional da APEOESP.

Felipe Andrés Calderón Roa, São Paulo, educador social. Atua como educador em projeto do Instituto Sou da Paz.

Flavio Munhoz, São Paulo, coordenador pedagógico do Programa Jovens Urbanos e atua com jovens do ensino médio.

Florisvaldo Custodio Rodrigues, Bragança Paulista, educador. Coordenador de cursos de qualificação profissional da SERT – Secretaria de Emprego e Relações de Trabalho. Presidente do Conselho do FUNDEB e ex-presidente do Conselho Municipal de Educação.

Fonlana Cheung, Santo André, professora de EJA. Também atua com educação de surdos e é conselheira do FUNDEB.

Gilson Aurelio dos Reis, São Paulo, Educador e militante social. Orientador pedagógico do grupo de apoio pastoral pedagógico – GAPP – do Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto.

Gislene Ferreira dos Santos, São Paulo, assistente social. Foi educadora social e coordenadora de alfabetização do MOVA. Voluntária na Educafro.

Israel Francisco do Nascimento Neto, São Paulo, educador social. Atua no Instituto Sou da Paz e no coletivo juvenil Literatura Suburbana.

Israel Raimundo dos Santos, São Paulo, estudante de ciências sociais. Assistente de gestão de políticas públicas na área da saúde e militante do movimento indígena.

Janeide de Sousa Silva, São Paulo, pedagoga. Trabalha na creche central da USP. Integra o grupo de estudos e vivências de cultura afro-caipira Sambaqui.

Jobana Moya, São Paulo, voluntária da convergência de culturas. Atua em defesa dos direitos da comunidade boliviana em São Paulo.

José Carlos da Silva, Embu das Artes S.P, arte educador. Trabalha em organizações sociais com musica e danças da cultura popular brasileira, focando as de origens africanas.

José Roberto da Silva, São Paulo, pedagogo. Trabalha na organização A Cor da Letra com ações sócio educacionais e culturais.

Juliana Lima da Silva, São Paulo, publicitária. Trabalha na TV Cultura.

Kátia Aparecida Gomes, São Paulo, assist. de desenvolvimento sociocomunitário. Trabalha com assessoria a movimentos comunitário e em defesa de crianças e adolescentes na ONG Aldeias Infantis.

Kelly Cristina Caraça, Itaquaquecetuba, educadora, diretora de departamento da coordenação administrativa da Educação de Itaquaquecetuba. Vice-presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e Conselheira Titular do Conselho Municipal de Assistência Social.

Lívia Pizauro Sanchez, São Paulo, pedagoga e estudante de direito.  Professora de educação infantil na rede municipal de São Paulo.

Lucas bento da Silva, São Paulo, estudante de geografia e pesquisador. É militante do movimento quilombola.

Luciana dos Santos de Oliveira, São Paulo, pedagoga, agente cultural na Associação Amigos das Oficinas Culturais do Estado de São Paulo, membro do GT de Educação da União de Negros pela Igualdade – UNEGRO.

Luis Felipe Soares Serrão, São Paulo, cientista social. Assessor do Projeto Indicadores da Qualidade na Educação – Ação Educativa.

Luiza Nelcinda de Carvalho Szabo, São Paulo. Conselheira Tutelar.

Maria Aparecida de Souza Santos, São Paulo, membro da Associação de Crianças com Fissura Lábio Palatino.

Maria Cláudia Vieira Fernandes, Guarulhos, diretora de Escola Municipal de São Paulo e ativista em movimentos sociais.

Maria Elcineide de Albuquerque Marialva, São Paulo, pedagoga e educadora de jovens e adultos no projeto educação cidadã na transamazônica. Desenvolve pesquisa sobre o PRONERA.

Maria Jose Mendes da Silva, São Paulo-SP, educadora popular na Assoc. Cantareira, coordenadora do Fórum Regional do MOVA-SP e líder comunitária.

Maria Lucia Costa Pedro, São Paulo, estudante de ciências sociais. Foi da coordenação do curso de Formação de Fé e Política da Região Episcopal de Santa Sé e do Centro Pastoral Santa Fé, em Perus. Trabalha na Ação Educativa.

Maria Lucia da Silva, São Paulo, enfermeira. Atua no Programa Saúde da Família, membro do Fórum DCA e militante do Movimento Creche para Todos.

Maria Noemia Ferreira Figueiredo, São Paulo, professora de educação infantil na rede municipal,  também atua ministrando seminários junto ao INEQ (Instituto Nacional de Educação e Qualificação Profissional).

Mariana da Silva Santos, São Paulo, estudante de ciências sociais. Estagiária na Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social. Já atuou em fóruns de defesa da criança e do adolescente.

Marília Ortiz, São Paulo, Gestora de Políticas Públicas. Atualmente desenvolve projeto sobre equidade de gênero em uma escola pública no Grajaú. Já atuou na área de juventude do Instituto Sou da Paz  e foi assistente da área de referência e memória do Cenpec.

Maura Rosa de Paula Paz, Eldorado, psicóloga social do ITESP (Fund. Instituto de Terras do Estado de São Paulo). Atua com comunidades quilombolas do Vale do Ribeira e é integrante do Fórum de Diversidade Étnico-Racial na Educação.

Melina Bergamin Rossi, São Paulo, Estudante 2º ano serviço social

Michelle Prazeres, São Paulo, educadora, jornalista e pesquisadora. Atua como assessora de comunicação na Ação Educativa, militante do Coletivo Intervozes, buscando associar as lutas pelo direito à educação e à comunicação.

Paulo Neves, São Paulo, pesquisador. Assessor do projeto Indicadores da Qualidade na Educação (INDIQUE) – Ação Educativa.

Paulo Ricardo Barbosa de Lima, São Paulo, estudante de direito. Foi educador popular, estudante de escola pública durante toda a caminhada escolar, participante de Conselho de Escola e  militante na comunidade.

Raimunda Pereira Borges, estudante de serviço social. Educadora de reforço escolar e  militante nos movimentos de moradia popular na Zona Leste. Atuou na Fundação Casa e em casa de repouso.

Raquel da Silva Ribeiro, São Paulo, professora de educação infantil da rede municipal de São Paulo. Atua em grupo de pesquisa sobre educação especial.

Raquel Freire de Abreu, São Paulo, educadora e estudante. Professora de educação infantil da rede municipal de São Paulo, desenvolveu pesquisa sobre “Bullying”.

Raquel Regina Rodrigues Monteiro Suzano, fonoaudióloga. Atua no Fórum Permanente de Educação Inclusiva.

Renata dos Santos Braga, São Paulo, estudante de Relações Internacionais. Participa de Projeto de Extensão universitária “Educar para o mundo”, que trabalha com educação popular para os Direitos Humanos em uma escola pública municipal de São Paulo.

Ricardo de Oliveira Teixeira Barros, São Paulo, educador social. Atua como educador social na Sociedade Esportiva Palmeiras desenvolvendo atividades com equipe interdisciplinar de acordo com que está previsto no Estatuto da Criança e Adolescente – ECA desenvolvido com jovens entre 14 e 21 anos.

Rita de Cassia Oliveira, São Paulo. É vice presidente da ONG Assoc. Comunitaria  Jd. Nazare II e  Promotora Legal Popular.

Roberta Faria da Silva, Guarulhos, estudante de Filosofia    Atua na construção do núcleo negro na Univ. Federal de São Paulo e é militante do movimento estudantil.

Roberta Pardo Mendes, São Paulo, auxiliar técnica de educação em escola pública de São Paulo e militante social.

Rosana Claudia Nogueira, São Paulo. Atua na Diretoria Executiva da Confederação das Mulheres do Brasil, é assistente de desenvolvimento sócio comunitária na organização Aldeias Infantis SOS Brasil.

Rosinaldo de Abreu Rodrigues (Nado), São Paulo, educador social. Educador popular e consultor no Programa de Extensão e Cultura no Estado de São Paulo. Atua na área de educação popular através da Rede MOVA.

Sarah Oliveira Fernandes, Santo André, jornalista e estudante de geografia. Atuou como repórter especialista em educação e desenvolvimento humano, trabalha no Portal Aprendiz.

Semíramis Costa Chicareli, São Paulo, psicóloga. Psicóloga da Pastoral Carcerária , especialista em Psicopedagogia Institucional, estudou o direito à educação no cárcere.

Thalita Alves dos Santos Barbosa, Extrema, professora do Ensino Médio. Membro do Conselho Municipal de Educação e do Conselho Municipal do FUNDEB.

Thellma Figueiredo de Souza, São Paulo, curso de especialização em direitos humanos. Atua como diretor de escola (Municipal).

Tiago Rufino Fernandes, Guarulhos-SP,  professor de EJA em Guarulhos, atua no Departamento de Orientações Pedagógicas na formação de professores.

Vaniza Ghidotti, Paulínia, pedagoga. Professora da rede municipal da cidade de Sumaré e membro do Conselho de Educação do Município e membro da associação de moradores.

Vera Lucia Gonçalves Martins Velasques, São Paulo, estudante de pedagogia.  Aposentada, atua em Associação de Mulheres do Conj. Habitacional Itaquera IV e Adjacências,

Vitor Mizuki, São Paulo, licenciado em geografia. Pesquisa a atuação do Ministério Público na educação (Unicamp).

25 respostas para Curso 2010

  1. Silvana Reis disse:

    Está previsto esse curso para o 2º semestre?

    Obrigada,

    • aoeducativa disse:

      Cara Silvana,
      Infelizmente ainda não temos previsão de uma nova edição do curso.
      De qualquer forma, não será realizado novamente no segundo semestre de 2010.

      • A educação a distância sempre foi vista com certo olhar, não se sabe ao certo o que leva a dizer não, quando o objetivo é aprender defender para ensinar defendendo. A ótica da lógica em tese diz ser direito do curso, levar conhecimento não conforme levantamento degundo a demanda pela progeção da inicial observada entre diferença negativa que se faz a respeito da metodologia, importa meios de recusos serem usados. O importante é passar a informação com segurança e qualidade desta forma, vejo como ferramenta fundamental a internet para efetivar este meio, bem que falar em defesa pode ter outra interpretação por que não se sabe, nível de informação que são trafegada elas podem ser confidencial ou extremamente confidencial, a maior preoculpação ainda refere-se a segurança e confiabilidade dos dados trafegado nesta mesma ótica compreendem tais motivos que impossibilita a formação a distãncia.
        Mesmo assim ainda volto a dizer que a educação e direito veio mesmo para facilitar e transformar a vida dos defensores menos burocratas, já não basta cidadão comum ter que lutar a ter resposta de seus direitos, graças aos defensores que na medida do possível embora, a demanda de hipossuficiente necessite de auxilio jurídico seja, maior dos defensores disponiveis, basta apenas formar multiplicar sem monopolo de segmento com a EAD tudo é possível.

  2. Jorge Amaral disse:

    Prezados,
    Existe possibilidade desse curso ser oferecido na modalidade de EaD?
    Grato pela atenção.

    • aoeducativa disse:

      Caro Jorge,
      Esta edição do curso será presencial, não estando disponível a modalidade a distância.
      A criação deste blog, no entanto, tem como objetivo estimular que o conteúdo do curso seja difundido o mais amplamente possível, o que poderá ser feito, por exemplo, por meio do ícone “resenha das atividades”. Além disso, está em estudo a viabilidade da transmissão ao vivo ou a disponibilização das aulas em vídeo por meio do blog. Assim, se tiver interesse, continue acompanhando as novidades e informações que serão divulgadas por aqui.

      • viviane disse:

        Gostaria de saber previsão para proximo curso e turma.

      • Cara Viviane,
        O curso Cidadania e Direito à Educação teve sua segunda edição realizada no primeiro semestre de 2010, já estando encerrado.
        Todos os vídeos das conferências, bem como as resenhas de todas as atividades, estão disponíveis neste blog.
        Por ora, não há previsão – embora haja o desejo – de realização de uma terceira edição do curso.
        Contamos com sua compreensão e esperamos que você se mantenha atualizada de nossas atividades por meio do blog ou pelo nosso boletim OPA. Para assinar, basta clicar aqui: http://www.acaoeducativa.org/index.php?option=com_content&task=view&id=1990&Itemid=332
        Cordialmente,
        Coordenação do curso.

  3. Erica disse:

    Estou aqui… torcendo para ser a selecionada… mas, se eu não for >>> Valeu e até a próxima aula !!!

    Abraços a todos(as)… e vou ficar de olho no próximo curso. Pq vcs são bons demais!!!

  4. Rita Amado disse:

    Boa tarde,
    gostaria de saber se têm prevista a realização deste mesmo curso mas elearning (à distância). Questiono porque sou de Portuagal e na minha pesquisa achei interessante o curso.
    Bom trabalho.
    Obrigada.
    Rita.

    • aoeducativa disse:

      Cara Rita,

      Esta edição do curso será presencial, não estando disponível a modalidade a distância.

      A criação deste blog, no entanto, tem como objetivo estimular que o conteúdo do curso seja difundido o mais amplamente possível, o que poderá ser feito, por exemplo, por meio do ícone “resenha das atividades” e “vídeos”.

      Assim, se tiver interesse, continue acompanhando as novidades e informações que serão divulgadas por aqui.

  5. Cladia Barreto da Silva disse:

    Olá gostei muito da tematica do curso e gostaria de saber se ainda é possível participar deste curso.
    Nem que seja como aluna especial, ouvinte sem o certificado.

    Obrigada e parabéns pela iniciativa!!!!

    • aoeducativa disse:

      Oi, Cláudia.

      O Curso contou com um processo seletivo entre fevereiro e março deste ano. Tivemos mais de 850 inscritos e, dentre eles, selecionamos 100 participantes. Infelizmente não podemos abrir exceções neste momento, pois seria injusto com todas as 750 pessoas que tinham interesse e foram impedidas de participar.

      Está em estudo, porém, a viabilidade de abrirmos as conferências para participantes externos previamente inscritos, a partir do quarto encontro. Se for confirmada, tal possibilidade será divulgada neste blog.

  6. Tania de Andrade Magalhães disse:

    Gostaria de saber como acompanhar o curso pelo blog . É necessário somente acessar o site da ação educativa?

    • aoeducativa disse:

      Cara Tânia,

      É possível acompanhar o curso por meio dos vídeos, resenhas das atividades e programação disponíveis aqui no blog. Para acessar o blog, por sua vez, não é necessário entrar no site da Ação Educativa, o caminho direto pode ser feito pelo endereço: https://direitoaeducacao.wordpress.com.

      Se você já está aqui: bem-vinda!

  7. joyce disse:

    Para quando esta previsto um próximo curso?
    e como eu faço para participar ?

    Obrigada!!

    • aoeducativa disse:

      Cara Joyce, ainda não há previsão de um novo curso. De qualquer forma, você pode acompanhar as conferências desta edição por meio dos vídeos e das resenhas. Além disso, as conferências da parte da manhã estão abertas à inscrição. (veja página inicial do blog).

  8. Karina disse:

    Boa noite!

    Gostaria de saber se ainda há vagas para o curso “Cidadania e Direito à Educação”.

    Grata,
    Karina.

  9. Edson Pinheiro Lopes disse:

    boa noite,gostaria apenas de parabeniza-los pela esta valoroza iniciativa,e espero mais informações sobre novos cursos.Sem mais no nomento,muito obrigado.

  10. eleonora krupka disse:

    preciso de informações sobre o curso de cidadania e direito a educação, resido em sergipe mais estou viajando para são jose dos campos proximo dia 10/10, e se haverá neste periodo algum curso similar a educadora social. atualmente sou delegada do conselhos das cidades do municipio de nossa senhora do socorro e coordenadora de projetos sociais de sergipe. fico no aguardo d euma resposta.

    • Cara Eleonora,
      O curso Cidadania e Direito à Educação teve sua segunda edição realizada no primeiro semestre de 2010, já estando encerrado.
      Todos os vídeos das conferências, bem como as resenhas de todas as atividades, estão disponíveis neste blog.
      Por ora, não há previsão – embora haja o desejo – de realização de uma terceira edição do curso.
      Contamos com sua compreensão.
      Coordenação do curso.

      • eleonora disse:

        agradeço a atenção e fico no aguardo de informações
        eleonora krupka

  11. Alfredo Bacellar disse:

    Alguém por favor poderia me mandar o endereço da Professor Fonlana Cheung
    sou um velho amigo dela e, mora em Tiradentes MG. Ficaria muito grato.

    Obs.: ela dá aula no EJA, também já dei aula no EJA, abraços!

    • Caro Alfredo,

      Não tenho autorização para enviar o e-mail dela para você. No entanto, você pode mandar o endereço do seu para mim (ester.rizzi@acaoeducativa.org), que eu encaminharei para ela, com seus comentários, pode ser?

      Abraços,
      Ester.

      • ediagar neri dos santos disse:

        é a primeira vez que visito este site, seria mais abragente se fosse ED divido o tempo disponél em casa, vou acompanhar até isto for possível OK.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: